Enoteca de Belém

Enoteca de BelémConhecemos a Enoteca de Belém ainda antes de existir Magna Casta. Na altura, ainda numa outra "encarnação", não nos impressionou particularmente.

Desde 2009 que tem uma nova vida, sendo parte integrante do Projecto Travessa da Ermida, mas só em 2014 é que eu e a Ema lá regressámos. Regresso tardio, pois as coisas agora estão completamente diferentes.
Quem costuma ir lá é o Ricardo, apesar de nunca ter escrito nada. Sim, merecia levar com um pau por causa disso. Mas pronto, assim as fotos até ficam melhores.

O Regresso da Quinta das Tecedeiras

O Regresso da Quinta das Tecedeiras

A dupla Lima & Smith, após a aposta na Quinta da Covela, tem estado a entrar em força noutras regiões, nomeadamente no Douro. Numa dessas investidas, ficou com a exploração da Quinta das Tecedeiras, que estava anteriormente ligada à Global Wines/Dão Sul, mas que no entanto foi "abandonada" quando a empresa decidiu deixar algumas coisas fora do Dão.

Além disso, a Lima & Smith foi também buscar Carlos Lucas para fazer os vinhos, ele que foi o "parteiro" do nascimento dos vinhos Quinta das Tecedeiras quando era o responsável da Dão Sul.

Este ano já deram à luz 2 novidades. Não ainda o nosso estimado Quinta das Tecedeiras Reserva, mas o Flor das Tecedeiras e um Porto especial, com as roupagens a terem alguns retoques em relação ao passado.

Marquês de Borba Branco 2013

Marquês de Borba Branco 2013

Nome: Marquês de Borba
Tipo: Branco
Colheita: 2013
Região: Alentejo
Castas: Arinto, Antão Vaz e Viognier
Graduação: 12.5%
Produtor: João Portugal Ramos Vinhos, S.A.
Preço: <€5

Quanto aqui falei sobre a colheita de 2011, disse que nunca tinha provado Marquês de Borba branco antes. A impressão foi positiva.

Duas colheitas e uma rega* depois a opinião mantém-se, apesar das devidas diferenças entre colheitas. Por exemplo neste 2013 junta-se algum tropical aos citrinos no aroma e não achei a acidez tão marcada.

Mas no essencial mantem o perfil ano após ano. Fresco, álcool moderado e frutado mas com final seco que o torna boa companhia à mesa.

Quinta das Carrafouchas

Quinta das Carrafouchas

É injusto ainda não termos aqui falado na Quinta das Carrafouchas.
Além de já lá termos ido diversas vezes, temos uma relação de amizade com o António Maria, "a cara" da Quinta e uma das pessoas mais bem dispostas do mundo do vinho.

A Quinta das Carrafouchas é o produtor mais próximo de Lisboa. Pouca gente imagina que logo a seguir àquela massa de prédios depois do Loures Shopping há campo e, até, um produtor de vinho.
Seguindo junto ao muro de tom rosado em A-das-Lebres, freguesia de Santo Antão do Tojal, facilmente identificamos um solar da mesma cor que será familiar a quem conhecer os rótulos dos vinhos.

La Parisienne Bistrot Français

La Parisienne Bistrot Français

Cresci a ouvir falar mal de comida francesa. Eram quase de terror as histórias que ouvia os mais velhos contar, das suas idas a França.
Com o passar dos anos comecei a ouvir o oposto. Histórias fantásticas da “melhor cozinha do mundo”, mas a preços que o comum dos mortais não consegue chegar.
Quando finalmente passei umas férias em França, mais precisamente em Paris, devo dizer que foi das cidades onde melhor comi. Comida muito boa a preços bastante decentes, em grande parte graças aos bistrôs. E o que é afinal um bistrô? É uma espécie de melhor de 2 mundos: uma espécie de tasca (com comida tradicional) mas numa versão, digamos, mais pipi.

Páginas